Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma mini e um pires de tremoços, por favor.

por Daniel João Santos, em 06.06.15

Como sinto saudades da bloga que trocava ideias, algo raro hoje em dia, leio o Delito de Opinião com entusiasmo. Hoje, embora com atraso, li um bom texto escrito por Sérgio de Almeida Correia, que me foi indicado mais abaixo num comentário, onde o bloguer escreve sobre a saída de Jorge Jesus para o Sporting, o festival mediático e um país que está alienado da realidade. Escreve Sérgio de Almeida Correia que enquanto se abrem jornais, telejornais e se debate Jorge Jesus, não se fala da crise nos planos social, ético, moral, demográfico e ortográfico, nos sistemas de justiça, de saúde e de segurança social, na educação, na banca, nos impostos, no sistema eleitoral, no sistema de partidos, nos índices de confiança nas instituições políticas e judiciárias, na polícia, na política. E ainda: "Tudo isto acontece num país que saiu há pouco mais de um ano de um programa de resgate internacional, a quatro meses de umas eleições legislativas e a seis de umas eleições presidenciais, com greves e pacotes de privatizações em curso, sem se saber o que vai acontecer com as reformas, com os escalões do IRS ou com a TSU dentro de alguns meses. Ninguém sabe quando o próximo Governo tomará posse, nem até quando se irá viver sem o Orçamento de Estado para 2016."

Tem razão Sérgio de Almeida Correia, ninguém fala desses problemas todos. E ninguém fala disso porquê? Fácil! Está explicado no conjunto de assuntos/problemas que são explanados pelo bloguer. Ninguém tem já paciência para tanto e tanto problema. Para isso já basta os problemas do dia a dia: levantar cedo, sair a correr, enfrentar o transito, levar os miúdos à escola, correr para o emprego - quem o tem -, aturar um chefe abominável, trabalhar debaixo de pressão, meter duas garfadas ao meio-dia na boca, levar com mais e mais do mesmo, sair a voar, apanhar os miúdos, enfrentar o transito, preparar o jantar, dar banho aos miúdos, jantar, deitar os miúdos e arrastar o corpo moído para a cama. 

Claro que o povo, este povo que faz isso durante todos os dias do ano, está alienado da crise. Sempre que pode, este moído povo, chega a barriga ao balcão, manda vir uma mini para empurrar um pires de tremoços, enquanto discute a ida de Jorge Jesus para o Sporting.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.