Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Divagações Abrilinas (8)

por Cristina Torrão, em 23.05.13

A mãe da Vera seguira o início da Simplesmente Maria, uma radionovela transmitida pela Rádio Renascença, em 1973/74: uma moça de província foi para Lisboa trabalhar como criada de servir e acabou por engravidar de um qualquer marmanjo que por lá conheceu. A mãe tentou explicar-lhe porque é que aquilo era tão grande pecado:

- É pecado, uma coisa muito feia, uma moça solteira engravidar.

- Porquê?

- Porque é.

- Mas os namorados não dão beijinhos?

- Dão.

- E os bebés não são feitos com beijinhos?

- Só as senhoras casadas é que têm filhos – acabou a mãe por dizer, de voz um pouco alterada, como sempre fazia, quando tentava emanar autoridade. - Onde já se viu, as meninas solteiras terem filhos? É uma coisa muito feia.

- Mas tu gostas da Maria da radionovela e ela teve um filho solteira.

- Está caladinha e não digas mais disparates!

 

 

Imagem daqui

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De fatima a 23.05.2013 às 12:14

Fantástico!
Oh se me lembro, parava tudo lá em casa. Aquilo fazia-me confusão, pois elas sabiam de cor as vozes daquela malta toda, pelo que me fiquei pelas revistas que a minha avó coleccionava religiosamente.(ainda gostava de saber onde foram parar...)

Para que conste: reli a colecção toda àcerca de 2 anos. Delicioso! E ainda deu para tirar algumas "dicas"... é que muitos daqueles trapinhos estão na moda outra vez...

"Só as senhoras casadas é que têm filhos – acabou a mãe por dizer, de voz um pouco alterada"
Exactamente.

Deixo aqui uma passagem memorável: ia a cminho de completar os meus três anos quando reparei que a minha mãe tinha engordado muito. Isso aliado a uma expressão que fazia parte do quotidiano da casa: "anda de bebé". A coisa tinha sido explicada da seguinte forma pela minha avó: as mãe pediam os bebés à nossa senhora e depois a nossa senhora mandava os bebés a partir de Paris. Foi-se indo e eu cada vez mais desconfiada. Até que um belo dia o senhor doutor foi lá a casa ver a mãe e eu como quem não quer a coisa perguntei: ó senhor doutor, é verdade que os bebés vêm de Paris?
- O quê? Que disparate é esse? Os bebés nescem da barriga das mães!!!
A minha avó deitou as mãos à cabeça e uma empregada já de idade não se conteve: excomungado!!!

sò visto, ainda hoje nos rimos...

Sem imagem de perfil

De Cristina Torrão a 29.05.2013 às 10:27

À conta dos meninos que vinham de Paris:
um tio meu, em idade escolar (6 ou 7 anos), chateado por a irmazinha bebé berrar muito: "Ó mäe, näo podes mandar a mana de volta para Paris, que ela faz muito barulho?"

Obrigada pelo teu comentário, Fátima. Infelizmente, os fascículos que a minha mäe comprou, na altura, perderam-se. Adorava poder tornar a lê-los, tenho a certeza que me ia divertir muito

P.S. Desculpa o atraso na resposta, mas näo tinha acesso à internet desde o dia 22 (tinha deixado a publicacäo deste post programada).
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 23.05.2013 às 20:37

excelente.
Sem imagem de perfil

De Cristina Torrão a 29.05.2013 às 10:30

Obrigada, Daniel.
Como já expliquei em cima, estive uma semana sem internet. Estou a tentar pôr a correspondência em dia e hei de contactar-te por mail.

Comentar post