Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Obviamente... demita-se!

por Eduardo Louro, em 14.01.16

 

Depois do que fez - e não fez - com o BES e com o Banif, e dos milhares de milhões que tudo isso custou, custa e vai continuar a custar aos portugueses, o governo de Passos Coelho, há poucos meses e em cima das eleições, reconduziu Carlos Costa na governação do Banco de Portugal. Desde então, falhou a venda do Novo Banco, fez explodir o Banif e, para capitalizar o Novo Banco, não hesitou em deitar a mão a dois mil milhões de obrigações seniores detidas por investidores institucionais, decisão estrategicamente muito arriscada, para não dizer completamente errada, e de duvidosa legalidade, para não dizer muito provavelmente ilegal, como aqui se deu conta no final do ano passado.

Claro que os atingidos não acharam graça nenhuma à brincadeira e, primeiro que tudo - quer dizer, primeiro que a inevitável litigância, ameaçam não financiar mais bancos portugueses, com sérios riscos de o mercado fechar as portas à banca nacional.

Admitia-se, e outra coisa não era de esperar, que tinha sido uma decisão concertada com o governo e respaldada no BCE. Nada disso: primeiro - mas mesmo assim tarde, apenas depois das reacções internacionais  - foi o governo a vir dizer que estava frontalmente contra a medida; e logo depois o BCE veio deixar claro que não apoiou aquela decisão, remetendo-a para a exclusiva responsabilidade do Banco de Portugal.

Como - a não ser em condições muito excepcionais, que nem a excepcional gravidade das asneiras de Carlos Costa contemplam - não se pode demitir o governador do Banco de Portugal, tem que ser o governador do Banco de Portugal a demitir-se. Obviamente... demita-se Sr Carlos Costa! Sabemos que se ganha muito bem, bem mais que o congénere americano, mas também sabemos que as reformas do Banco de Portugal não são nada más... 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Transparência

por Eduardo Louro, em 02.09.15

Imagem relacionada

 

 

Era dado como certo que os chineses da Anbang lideravam a tabela classificativa das propostas de compra do Novo Banco. Que em segundo lugar se encontravam os americanos da Apollo, e por último os outros chineses, da Fosum, de Guo Guangchang, que já têm a Espírito Santo Saúde e a Fidelidade.

Falhadas as negociações, ontem, a notícia era que o Banco de Portugal passaria a negociar com quem apresentara a segunda melhor proposta, com os americanos. Ao final do dia soube-se que, afinal, as negociações decorriam com os chineses. Os outros, mas também chineses. Os da terceira melhor proposta, que era a pior...    

Chama-se a isto transparência. Que começa logo quando se pega num (mau) regulador e se quer fazer dele um vendedor. Quando se é mau naquilo para que se está vocacionado e estruturado, como se poderá não ser se não pior naquilo em que se não tem nem experiência nem know how?

 

Imagem relacionada

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tudo se compra. Tudo se paga.

por Eduardo Louro, em 31.05.15

 

Está confirmada a recondução de Carlos Costa à frente do Banco de Portugal. Depois de esconder a decisão durante algumas semanas, Passos Coelho confirmou-a. Poucas semanas depois do Relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ter acusado, como acusou, o governador do Banco de Portugal. Numa semana em que as pensões da Segurança Social, e a sua sustentabilidade, estão no topo da actualidade, sem que ninguém fale dos milhões que o BES lhe destruiu. Com a responsabilidade óbvia de Carlos Costa. Que Cavaco, sempre na linha da frente na defesa das mais indefensáveis posições do governo de Passos, se apressou a ratificar. Não há ninguém em Portugal mais bem preparado para a função, disse ele.  

Longe vai a velha ambição de Sá Carneiro. Estamos numa nova e triste era: uma maioria, um governo, um presidente ... um governador do Banco de Portugal ... uma Autoridade Tributária ... uma Segurança Social ... Tutti quanti!

Porque no poder tudo se compra. E tudo se paga!

O governo tinha de ficar de fora do superescândalo do BES, que fez do BPN uma brincadeira de crianças, para utilizar a terminologia do primeiro-ministro. O Relatório da CPI serviu-lhe os intentos, sacrificando Carlos Costa. Que se manteve firme e hirto, inabalável, quando qualquer pessoa digna e adequada à função, assim enxovalhada, não hesitaria em demitir-se.  

Passos Coelho pagou-lhe o serviço. Limitou-se a pagar. Cavaco fez o resto, resgatou-lhe a credibilidade. Para, com isso, também ele lavar dali as mãos... Bem sujas, como bem nos sabemos, naquelas recomendações que ninguém esquece. As tais almofadas que garantia existirem ...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um post de fino recorte ironico

por Daniel João Santos, em 28.05.15

Não tenho duvidas, devido ao belíssimo historial das intervenções do Banco de Portugal nas diferentes crises e em particular no BES, que o sucessor de Carlos Costa só podia ser Carlos Costa. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Coimas pequeninas

por João António, em 13.05.15

A senhores que deram golpadas de muitos milhões são aplicadas coimas que devem ser do valor de algumas casitas que os meninos têm para férias . Só os prémios recebidos ao longo dos anos devem chegar e sobrar.

Fico com a ligeira impressão que depois de recorrerem ainda lhe vamos todos nós pagar a chatice que estão a sofrer . 

A multa mais elevada, no valor de 1,5 milhões de euros, foi aplicada ao BPP, mas foi suspensa porque o banco se encontra em processo de insolvência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

19.838.449,96 euros

por Daniel João Santos, em 04.11.10

Valor gasto na remodelação da sede, que ainda decorre, celebrados num contrato de ajuste directo, do banco De Portugal. E é isto a anunciada contenção na despesa?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Banco de Portugal diz que existe  muito pouca sensibilidade para a importância de poupar.

 

A pergunta óbvia:

 

- Poupar o quê?

Autoria e outros dados (tags, etc)

A boa e a má noticia da semana

por Daniel João Santos, em 01.06.10

A boa noticia, Vítor Constâncio  abandona hoje o lugar de governador do Banco de Portugal. A má noticia, Constâncio vai para o Banco Central Europeu. O agora ex-governador vai ser responsável pela definição e execução da política monetária dos países da zona euro.

 

Resumindo, a má noticia anula a boa noticia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A caminho da Europa

por Daniel João Santos, em 16.02.10

 Estou plenamente convencido que esta será uma forma "prestigiante" de Vítor Constâncio sair do Banco de Portugal. Depois de constantes falhas de supervisão, Constâncio sai como se fosse o melhor português e o mais competente para ocupar o lugar de vice-governador do Banco Central Europeu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Columbofilia central

por João António, em 14.01.10

 Quando será que esta "pomba" voará para o BCE ?  Parece que as eliminatórias preliminares serão ultrapassadas sem dificuldade de maior. Esperamos todos que rapidamente venham as finais e que seja bem sucedido ! Da minha parte troço para que ganhe a medalha de lata.

Autoria e outros dados (tags, etc)