Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Já se prepara a fogueira

por Daniel João Santos, em 24.02.10

O procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro, garantiu que a questão da destruição das escutas telefónicas do processo Face Oculta que captam conversas do primeiro-ministro será resolvida "em breve". 

 

Já mandou comprar o forno e a lenha.

Autoria e outros dados (tags, etc)


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Ferreira-Pinto a 24.02.2010 às 12:50

Posso emprestar a minha lareira!
Imagem de perfil

De João António a 24.02.2010 às 18:16

Também se podia preparar o "caldeirão" para os que escutaram .
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 24.02.2010 às 20:37

tem de ser grande.
Sem imagem de perfil

De André Miguel a 24.02.2010 às 19:41

Em breve?! Mas na Procuradoria ninguém fuma e que empreste um isqueiro?
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 24.02.2010 às 20:38

o procurador trata disso.
Sem imagem de perfil

De Rui Figueiredo a 24.02.2010 às 19:52

Já mandou foi acertar o passo ao Procurador de Aveiro..lá vai o guarda Abel!!
Sem imagem de perfil

De Rui Figueiredo a 24.02.2010 às 20:53

E olha que o guarda Abel não perdoa quando é para dar cacete!!!
Imagem de perfil

De manuel gouveia a 24.02.2010 às 22:29

Em breve... isso pode ser uma eternidade!
Sem imagem de perfil

De Fulano a 27.02.2010 às 14:39

Este comentário provavelmente não tem a ver com o teor do artigo, é um panfleto de um cidadão indignado.

O que é preciso é compaixão Cristã. Vai aqui um exemplo da mesma compaixão:

« ...Esta proposta, sublinhou, é "perfeitamente possível" de ser executada "cortando 50,5 milhões de euros numa prestação onde o abuso é uma vergonha, chamado rendimento mínimo garantido". » Paulo Portas

O partido dos «com a boca cheia de dentes» que fazem terapia quando lhe morre o gato, e fazem peregrinações a Fátima equipados de roupa desportiva "griffé" e são católicos porque ser católico é tradição e ser tradicional é fino e aristocratico , vivem à séculos de rendas e de não participar no desenvolvimento (fugindo aos impostos em larga escala) têm o desplante de fazer bandeira dos abusos das classes populares. Estes cristãos, os tais do "ao outro como a si mesmo", (tem-se visto ao longo dos séculos), quando as classes populares já embrutecidas pela pobreza, enraivecidos pela miséria fizerem correr sangue clamarão pela dureza policial. O que esta gente propõe é a "sul-americanização" da vida.

P.S. Não nego que haja abusos mas serão mais graves que os outros abusos que TODOS conhecemos? E havendo abusos serão na ordem de 50,5 milhões?

Comentar post